Administrador

Em 14 de abril de 1985, antes mesmo de tomar posse, Tancredo Neves, presidente eleito indiretamente pelo Colégio Eleitoral, foi internado às pressas no Hospital de Base de Brasília. Em seu lugar foi empossado o vice José Sarney. Foram diversas cirurgias até seu falecimento, em 21 de abril.
Antes mesmo da derrota da Emenda Dante de Oliveira, Tancredo Neves já era apontado como um possível candidato às eleições indiretas no país. Em 15 de janeiro de 1984, com 480 votos Tancredo se torna o primeiro civil eleito Presidente da República desde a instauração do golpe, em 1964.
A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 05/1983, apresentada pelo então Deputado Federal Dante de Oliveira,  propunha o restabelecimento das eleições diretas para Presidente da República, extintas desde 1964, quando o golpe destituiu o presidente João Goulart e instaurou um regime militar. A votação da Emenda aconteceu em 25 de abril de 1984.
No dia 16 de abril de 1984 milhões de pessoas se reuniram no Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo, para o que seria considerado o maior comício pelas Diretas Já; o último antes da votação da Emenda Dante de Oliveira.
Para além do movimento pelas Diretas e tendo em vista a possível disputa presidencial no Colégio Eleitoral, alguns entrevistados comentam sobre as articulações dos candidatos da época com o governo militar.
Em 1984, o aniversário da cidade de São Paulo foi marcado por um dos maiores comícios da Campanha das Diretas Já. No dia 25 de janeiro a Praça da Sé foi tomada por milhares de civis, estudantes, políticos, jornalistas e artistas.
Em 1983, milhares de pessoas se reuniram na Praça Charles Miller, no Pacaembu, para o que seria considerada a primeira manifestação pública em São Paulo a favor das eleições diretas. Acompanhe alguns depoimentos de entrevistados sobre o evento em questão.
Desde que o primeiro ato institucional permitiu a eleição indireta do marechal Castello Branco, as diretas passaram a fazer parte do programa da oposição. Mas durante um longo tempo, a tese aparecia em segundo plano, ofuscada pela proposta de uma assembleia nacional constituinte, sem a qual, imaginavam políticos e teóricos, seria inútil restaurar o voto […]
Relatos sobre primeiro contato com a política.
A história recente do Brasil é praticamente ignorada pelas novas gerações. Há pouco material disponível nos currículos e menos ainda na grande mídia, que só se mobiliza em razão de efemérides. O projeto Brado Retumbante, do golpe às diretas, iniciado pelo jornalista Paulo Markun em 1986, com uma série de seminários na Unicamp – e […]
Foi Leonel Brizola quem primeiro tentou derrubar a ditadura de 1964 pelas armas. Chegou mesmo a estabelecer um contato direto com os cubanos e criou o Movimento Nacionalista Revolucionário, que teve alguns militantes treinados na ilha. Em março de 1965, uma coluna organizada pelo ex-coronel Jefferson Cardim deixou Três Passos no Rio Grande do Sul. […]
A censura não se instalou nas redações imediatamente após o golpe militar. Grande parte dos jornais apoiava o movimento. Os jornais esquerdistas foram fechados sem mais. A Última Hora, que imprimia mais de 100 mil exemplares por dia no Rio e em Recife, foi empastelada. certamente tentaria resistir, empastelados. Seu dono, Samuel Wainer, ainda estava […]

SNI

O Serviço Nacional de Informações nasceu em julho de 1964, mas há muito tempo a espionagem operava no país. Desde 1956, o serviço secreto brasileiro teve cinco siglas diferentes – Sfici (Serviço Federal de Informações e Contra-informação), SNI (Serviço Nacional de Informações), DI (Departamento de Inteligência), SSI (Subsecretaria de Inteligência) e Abin (Agência Brasileira de […]
Para alguns, a chamada Passeata dos Cem Mil não teve tanta gente assim e só ficou conhecida por esse nome graças a mais uma sacada marqueteira do jornalista Samuel Wainer, em busca de uma manchete impactante para sua Última Hora. Outros, como o então líder estudantil Franklin Martins, asseguram que o mar de gente pelas […]
Relatório das circunstâncias da morte de Edson Luiz Dados PessoaisNome: Edson Luis de Lima SoutoCidade: (onde nasceu) BelémEstado: (onde nasceu) PAPaís: (onde nasceu) BrasilData: (de nascimento) 24/2/1950Atividade: Estudante secundaristaMorto ou Desaparecido: – Morto. 28/3/1968, Restaurante CalabouçoOrgão de repressão: (envolvido na morte/desaparecimento) – Polícia Militar. PMMédico legista: Ivan Nogueira Bastos/ Nilo Ramos de Assis Edson Luis […]
Quem passasse pela rua Maria Antônia, no centro de São Paulo no dia 2 de outubro de 1968, seria surpreendido: de cada lado da pista, havia um pequeno exército improvisado. De um lado, estudantes do Mackenzie; do outro, a turma da Filosofia. Na verdade, havia mais que universitários nos dois campos: secundaristas engajados na greve […]
“Dirceu – cabelo comprido, barba por fazer, olhar cansado –, disse a seu velho rival na disputa pela liderança na ex UNE: ‘Dentro de um mês fazemos um novo Congresso’. No fim da tarde úmida e chuvosa de São Paulo, horas depois, a única tentativa de resistência à prisão: de um ônibus parado diante do […]
Em 1979, um grupo de religiosos e advogados iniciou um projeto extremamente ambicioso: obter junto ao Superior Tribunal Militar, em Brasília, informações e evidências de violações aos direitos humanos praticadas por agentes do aparato repressivo do Estado durante a ditadura militar, que ainda não acabara, para produzir um livro-denúncia. Os advogados, entre os quais a […]
Vladimir Herzog morreu no dia 25 de outubro de 1975, durante uma sessão de tortura, na rua Tomás Carvalhal, 1030, no bairro do Paraíso, em São Paulo, num prédio utilizado pelo Destacamento de Operações Internas – Comando Operacional de Informações do II Exército. Ele dirigia o jornalismo da TV Cultura e fora procurado na emissora […]
Não existem estatísticas seguras sobre o alcance da repressão durante a ditadura. Entre outras razões, pelo fato de que muitas prisões foram ilegais e não deixaram registro. É certo, contudo, que o estrago provocado aqui pelo regime militar foi menor do que o causado no Chile, na Argentina e no Uruguai, em termos de mortos […]
As primeiras eleições diretas para governador após o golpe militar ( e a parcial de 1965) aconteceram em 15 de novembro de 1982 e foram o maior pleito da história política do país, até então. O eleitor podia escolher seis cargos: governador, senador (uma vaga),deputado federal, deputado estadual, além de prefeito e vereador. Era um […]
Na edição de primeiro de abril de 1964, o Jornal do Brasil informou que Comando Geral dos Trabalhadores decretara greve geral “em apoio ao Presidente João Goulart, paralisando de imediato os trens da Central do Brasil e da Leopoldina, o Porto de Santos e os bondes da Guanabara, com a adesão de universitários.” A greve […]
No dia 2 de abril de 1964, o jornalista Austregésilo de Athayde publicou um artigo no Diário da Noite, pedindo anistia para os derrotados e a devolução do poder aos civis. Em novembro do mesmo ano, depois do Ato Institucional nº 1 – AI-1, que instituía a investigação sumária, dispensando a apreciação judicial e, dava […]
O golpe militar acabou com o governo de Jango e jogou centenas de governistas na oposição. Ao mesmo tempo, a derrota inesperada uniu a oposição de esquerda por algum tempo. Num primeiro momento, essas lideranças se encontraram em Montevidéu, no Uruguai. No dia 2 de abril de 1964, a primeira-dama Maria Thereza Goulart deixou Porto […]
Em maio de 1975, Ulysses Guimarães, acompanhado pelo secretário-geral do MDB, Thales Ramalho, encontrou-se com o general Golbery do Couto e Silva. Uma reunião ultra-secreta, vinculada ao compromisso de que nada do que fosse conversado ali poderia ser levado adiante. Depois de informar que estava ali não só com o conhecimento do presidente Ernesto Geisel, […]
Calros Lacerda, ex-governador da Guanabara e participante ativo do golpe de 1964 logo se desencantou com o regime militar, que acabou com a democracia e barrou seu caminho até a presidência. Em 1966, Lacerda foi procurado por oposicionistas como Renato Archer e adotou a tese da Frente Ampla, uma ampla aliança em favor da democracia, […]
João Baptista de Oliveira Figueiredo foi o último general a chegar à presidência da República na ditadura. A ele caberia completar o projeto de abertura lenta, segura e gradual planejado pelos generais Ernesto Geisel e Golbery do Couto e Silva, entregando o poder a um civil alinhado com os princípios da Revolução de março de […]
Durante a ditadura, do lado do governo, houve quem considerasse até as decisões de governantes sem voto (como os atos institucionais), insuficientes para controlar a sociedade e enquadrar a oposição. E partiram para o terror. Os atentados mais radicais foram abortados pela insubordinação de um militar. No dia 14 de junho de 1968, o capitão […]
O golpe militar de 1964 não acabou imediatamente com os partidos políticos existentes, muito embora o primeiro dos atos institucionais tenha sido acompanhado por uma lista de cassações que levou vários políticos ao exílio. Nos primeiros momentos, o regime militar buscou apresentar-se como uma espécie de freio de arrumação destinado a repor o país no […]
Paulo Markun propõe aos entrevistados a criação de um verbete: o que foi a Campanha das Diretas Já?